Afasta de Mim este cálice

Ex 32:4 – MAS, vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, ajuntou-se o povo a Aarão, e disseram-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses, que vão adiante de nós: porque, quanto a este Moisés, este homem que nos tirou da terra do Egipto, não sabemos o que lhe sucedeu. 2. E Aarão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro que estão nas orelhas das vossas mulheres, e dos vossos filhos, e das vossas filhas, e trazei-mos.3. Então, todo o povo arrancou os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Aarão, 4. E ele os tomou das suas mãos, e formou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egipto. 5. E Aarão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e Aarão apregoou, e disse: Amanhã será festa ao Senhor. 6. E no dia seguinte, madrugaram; e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois, levantaram-se a folgar.

Vivemos em tempos de bezerros de ouro, estamos dançando ao seu redor e o adorando.

Hoje os bezerros de ouro são os bens materiais – as bênçãos e, por isso, somos bem ávidos para alcançar do Senhor as suas promessas, em obter suas bênçãos, nos tornamos como os mercadores persas, queremos comprar por preço bem barato, ou até mesmo de graça, aquilo que custou um alto preço.

Estamos acostumados a ver na televisão “um mercador” vendendo desde sal grosso, rosas de todas as cores, toalhas de todas as mesas, campanhas e mais campanhas.

Estão vendendo o que jamais esteve à venda – A PALAVRA. Estão prometendo o que o Senhor não prometeu e para esses a resposta está na própria Palavra de Deus em Dt 18:22.

Dt 18:22 – Quando o tal profeta falar em nome do Senhor, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o Senhor não falou: com soberba a falou o tal profeta, não tenhas temor dele.

Estamos nos tornando como as duas filhas da sanguessuga que está em PV 30:15 e 16.

PV 30:15 – A sanguessuga tem duas filhas, a saber: Dá, Dá. Estas três coisas nunca se fartam; e quatro nunca dizem: Basta. 16: A sepultura; a madre estéril; a terra que se não farta de água; e o fogo, nunca dizem: Basta

Estamos sempre clamando ao Senhor: “Me dá!”, “Me dá!”, “Me dá!” e “Me dá!”. Somos como a sepultura, uma madre estéril, uma terra que não se farta da água, porque ouvimos sempre e nada aprendemos, nada mudamos. Somos um fogo que a tudo consome e jamais dissemos basta.

Queremos casa, carro, roupas, destaque social, emprego para ganhar muito dinheiro, viagens, prazeres da carne.

Queremos que Deus restitua o casamento que ao longo da vida destruímos, que pague as dívidas que por coisas inúteis adquirimos; restaure a saúde que durante o tempo gastamos com bebedeiras, drogas e noites mal dormidas.

Queremos tudo de Deus, mas não queremos dar nada para Deus. Não queremos mudar em nada a nossa vida. Não há arrependimento para que possa haver o perdão dos nossos pecados.

Ora o Evangelho de Jesus é ARREPENDEI-VOS – Mt 3:2 / Mt 4:17 / Mc 1:15.

At 2:38 está escrito: “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;…”.

At 3:19 – Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério, pela presença do Senhor,

Veja Ex 32:4 – “vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte”,

Não temos mais paciência para esperar em Deus, esperar as respostas de Deus ou a providencia de Deus. Não esperamos mais o seu socorro.

Ao parecer demorado uma resposta uma providencia nos ajuntamos contra Deus, contra Jesus, contra o Espírito Santo. Queremos as coisa na nossa hora, no nosso tempo e do nosso jeito.

Os sacerdotes foram tomados pelo espírito de Saul, porque para manter o povo reunido faz-se que negócio. Oferece-se sacrifícios de tolo. São os sacerdotes descompromissados que constroem os bezerros de ouro.

E para construir os bezerros de ouro os sacerdotes arrancam o ouro do povo, retiram suas bênçãos verdadeiras, suas riquezas verdadeiras. Tiram deles aquilo que Deus lhes havia dado quando saiam do Egito.

Ex 32:2. E Aarão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro que estão nas orelhas das vossas mulheres, e dos vossos filhos, e das vossas filhas, e trazei-mos.3. Então, todo o povo arrancou os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Aarão, 4. E ele os tomou das suas mãos, e formou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egipto. 5. E Aarão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e Aarão apregoou, e disse: Amanhã será festa ao Senhor.

Quantos sacerdotes estão hoje mandando o povo trazer todo o seu ouro, todas as suas bênçãos para construção dos bezerros de ouro.

Estão afirmando que a oferta pequena Deus não retribui, portanto, anularam a oferta da viúva que Jesus utilizou como exemplo para seus discípulos como está em Mc 12:41 a 44.

Estão ensinando que se agrada a Deus apenas ofertando-lhe altas somas em dinheiros ou bens, mesmo que seja sem qualquer arrependimento. Mesmo que seja com o coração maligno.

Veja o que está em Provérbios 21:27

O sacrifício dos ímpios é abominação; quanto mais, oferecendo-o com intenção maligna!

Hoje, como naqueles dias do bezerro de ouro, o povo se dispõe, sem qualquer murmuração, a levantar de madrugada para obter um bezerro de ouro, mas não se levanta para orar e agradecer a Deus por nada.

Ex 32:6. E no dia seguinte, madrugaram; e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois, levantaram-se a folgar.

Os crentes, como aquele povo do deserto, para fazer uma campanha para ganhar casa, carro, pagar as dívidas, obter vitórias, são extremamente fieis, extremamente zelosos; mas para mudar de vida, para deixar de pecar, para arrepender-se, jamais conseguem, jamais se esforçam e sempre murmuram contra o pastor, contra Deus, contra Jesus, contra o Espírito Santo.

Você já ouviu alguém dizer que aqui na Famílias em Cristo o Pastor bate duro demais? Que o Pastor é muito radical?

Esses estão correndo apenas atrás do bezerro de ouro e esqueceram que o projeto de Deus, em Cristo Jesus, é SALVAÇÃO DE NOSSAS ALMAS.

O Evangelho de Jesus não é de prosperidade, mas é de SALVAÇÃO.

Não para obtenção de carros, de casas ou de bens materiais, mas é de responsabilidade pessoal, de transformação pela renovação da mente, de mudança de vida pela renúncia de si mesmo, pela negação de tudo quanto se tem, de seguir a Cristo em direção ao Calvário, de se oferecer com oferta em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.

É de vida eterna em Cristo Jesus, de conquista de uma cidade celestial.

É o Evangelho da decência, da honestidade, do ARREPENDIMENTO e da SANTIDADE sem a qual ninguém verá a Deus.

Amados filhos há um cálice a ser bebido e, ainda que pareça muito amargo, é necessário que dele se beba.

É apenas depois desse cálice que se está pronto para se oferecer como sacrifício  vivo e agradável a Deus.

Podemos até pedir ao Pai que, se possível, o Pai o afaste de nós, mas devemos ter coragem e a determinação suficientes para dizer: faça-se a tua vontade.

MT 26:42 – E, indo segunda vez, orou, dizendo: Pai Meu, se este cálice não pode passar de mim, sem eu o beber, faça-se a tua vontade.

Deixe Deus fazer a vontade Dele em você, esteja aberto a beber desse cálice, esteja pronto para o batismo de fogo, esteja pronto para receber aquilo que Deus tem para você, ainda que não lhe seja agradável, ainda que não lhe seja honroso ou prazeroso.

Visualizações: 5.706

 

1 comentário »

  1. I truly value your piece of work, Great post.

    Comentário de Ezekiel — 21 de maio de 2017 @ 7:06

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment