Ministração: Radicalize

Repensando a adolescência – juventude

Vivemos hoje em uma cultura que estimula o conforto, e não os desafios. Antigamente, esperava-se que os jovens oferecessem contribuições significativas á sociedade. Hoje nossa cultura nutre poucas expectativas em relação aos jovens. Como conseqüência, os jovens acabam não aprendendo lições capazes de transformar suas vidas.

Todas as pessoas possuem potencial para alcançar a excelência. Há mesmo um herói dentro de cada um de nós. Fomos todos criados por Deus para sermos benção na vida de muitas pessoas.

O que devemos fazer para sair dessa condição de poucas expectativas e levantar verdadeiramente uma nova geração de valentes guerreiros que superam os obstáculos mais difíceis quebrando essa barreira que nos impedem de alcançar o seu potencial e desafiarem os jovens a fazerem o melhor a excelência com os dons que receberam de Deus.

Radicalize= Ser Radical é a proposta para sermos essa nova geração de jovens guerreiros com a ajuda de Deus e as pessoas poderão voltar a dizer de nossa juventude: “Jovens, eu lhes escrevi, porque vocês são fortes, e em vocês a Palavra de Deus permanece e vocês venceram o Maligno” (1Jo 2:14)

Desafio

É um desafio para você acreditar no seu potencial para uma mudança agora mesmo – uma turma que está pronta para algo que não prometa uma vida inteiramente nova se você comprar o jeans da moda ou comprar a marca certa de perfume. Mais que esteja pronta a repensar o que é capaz de fazer e se tornar. Quando idéias equivocadas são desprezadas e banidas podemos e somos capazes de perceber um caminho melhor, mesmo que seja mais difícil.

Vamos analisar algumas questões radicais:

• É possível que, embora os adolescentes de hoje tenham mais liberdade do que em qualquer outro momento da História, estejamos mesmo desperdiçando alguns dos melhores anos de nossa vida?

• É possível que aquilo que a nossa cultura diz a respeito do propósito e do potencial dos anos da adolescência seja uma mentira da qual somos as vítimas?

• É possível que os anos de nossa adolescência nos ofereçam uma oportunidade singular de alcançar grandes realizações, tanto pessoais quanto coletivas?

• Como seria a nossa vida se seguíssemos outra trilha completamente diferente – uma trilha que exigisse mais esforço, mas que também acenasse com uma recompensa muito maior?

Essa trilha alternativa pode ser descrita com duas palavras bem simples: pegue pesado.

Pegue pesado não é para tornar sua vida um suplício, nem que roube um banco, pule de um penhasco, escalar uma montanha sem equipamento ou ficar de cabeça para baixo por 24 horas seguidas. Não é pára se fazer essas coisas sem sentindo só porque são difíceis ou se passar a trabalhar duro, rejeitar qualquer forma de conforto deliberadamente, Deus passará a amar mais você. Deus não pode amar você mais do que já ama neste momento.

Então o que quer dizer de tudo isto até agora?

Um desafio a você para os anos de sua juventude ainda mais empolgante do que a sociedade de hoje em dia considera como “normal”. Uma trilha melhor um caminho Melhor.

O Mito

Os elefantes são animais poderosos e por isso utilizados nos mais diversos serviços em partes da Ásia, são animais capazes de mover toras arrancar árvores inteiras e realizar as mais diversas tarefas pesadas. Quantos já viram cabo de guerra de uma centena de homens contra este animal? E o elefante sempre ganha comprovando a força deste animal. Mais a questão é como os asiáticos mantêm presos estes animais para que não fiquem vagando: Simples eles pegam uma pequena corda, amarram a uma estaca de madeira fincada no chão e a prendem na pata direita traseira do animal.

Considerando a força deste animal podemos perceber que bastaria um safanão do animal e essa estaca voaria longe, mais o elefante não saí do lugar. Aquela corda é o bastante para mantê-lo ali, ele não sairá dali.

Como isso é possível? O segredo não tem nada a ver com o pedaço de corda em volta do tornozelo do elefante e sim com as algemas invisíveis na mente do animal.

Será que nós, assim como muitos jovens que conhecemos, somos iguais aos elefantes – fortes, espertos, cheios de potencial mas, de certa forma incapazes de fazer as coisas por causa de um simples pedaço de linha? Será que basta nos convencer de uma mentira para nos impedir?

Antes do Orkut

A palavra “adolescente” e “jovem” são usadas como sinônimos e segundo a ONU está compreendida entre os 15 a 24 anos, no Brasil de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente está entre os 12 aos 18 anos.

Mais adolescência é utilizada em um contexto científico com relação ao processo de desenvolvimento bio-psico-mental e que é marcada, sobretudo por ordem sócio-cultural.

Há uma grande chance de você se encaixar nessa categoria. Como a maioria, você freqüenta a escola, faculdade, tem um perfil no Orkut, twitter, facebook e usa mais o seu celular do que uma câmera para tirar fotos.

Mais a palavra adolescente existe a menos de setenta anos e a primeira utilização que se tem registro é em um artigo de Seleções do Reader’s em 1941.

Antes do século XX, as pessoas eram classificadas como crianças ou adultos e suas principais ocupações eram a Família ou o Trabalho deste grupo que hoje se refere como Adolescentes.

Antigamente os ditos hoje como adolescentes e jovens possuíam mais responsabilidades quando ainda tinham pouca idade e sobreviveram – cumpriram.

O que mudou? Porque os rapazes e as moças de antigamente, aos quinze anos eram capazes de fazer coisas (e fazê-las muito bem) que muitos jovens na faixa dos 25 aos 30 anos não fazem hoje em dia?

Simples as pessoas enxergam esse período da vida através das lentes modernas da adolescência que incentiva e até treina os jovens a permanecer infantis por mais tempo do que o necessário. Isso gera impedimentos para fazermos as coisas que podemos as que Deus nos criou para fazermos e até as que gostaríamos de fazer se conseguíssemos combater a cultura de depreciação da adolescência que impera em nossa sociedade.

Para o poderoso elefante, um pedaço de corda parece uma algema muito forte. Para os jovens de hoje uma geração poderosa, educada e abençoada, as algemas podem estar escondidas em conceitos simples e fatais como “adolescência” e “adolescente”.

Você está pronto para se libertar a partir de uma mudança de mentalidade?

Continua …


Ministrado por: Pr. Narley Fabricio
Ministração tema do Acampamento
Fontes: Radicalize de Alex e Brett Harris; Wikipédia

Visualizações: 8.406

 

3 Comments »

  1. Glória ao DEUS, que nos livrou da preocupações deste mundo!!!!

    Comentário de LARISSA — 3 de abril de 2014 @ 9:08

  2. Texto maravilhoso e muito inspirador, a indiferença é cruel :(

    Comentário de Rebeca — 14 de abril de 2014 @ 20:59

  3. Minha esposa fala que eu não tenho fé porque me preocupo de mais com o futuro nosso e de nossos filhos.
    Só eu trabalho em casa e não sou registrado, e o contrato pode acabar a qualquer momento sem nenhum direito trabalhista. Ou seja se eu parar hoje amanhã já não tenho o que receber.
    Eu fico buscando alternativas para um plano B, contatos para um convenio mais barato, atividades que possam nos oferecer uma outra renda, etc..
    e eu sempre me deparo com minha esposa fazendo este comentário.
    Realmente não sei se preciso deixar tudo nas mãos de Deus ou continuar me preparando e planejando.

    Comentário de Tony — 5 de julho de 2017 @ 11:43

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment