A Indiferença

Jo 16:10: Abrem a sua boca contra mim; com desprezo me feriram nos queixos e contra mim se ajuntam todos.

Uma ATITUDE errada pode ser fatal. Uma DECISÃO errada pode custar mais do que a própria vida; pode custar a vida de toda uma família. Uma atitude errada pode colocar fim em tudo que pensamos, temos ou que projetamos. Pode matar todos os sonhos e todas as expectativas de muitas pessoas. Portanto, cuidado com suas decisões.

Nossa vida é resultado das nossas DECISÕES. DECIDIMOS primeiro, depois AGIMOS em conformidade com as decisões tomadas. Assim, minhas atitudes são o resultado prático das minhas decisões.

Podemos dizer então que a vida é o resultado das atitudes diárias. As atitudes são o resultado de decisões diárias. Decidi e assim, agi.

Sl 116:10 – Cri, por isso falei; estive muito aflito.

Cuidado filhos porque as suas decisões geram atitudes, e suas atitudes podem levar os outros à indiferença com você, com os outros e com eles mesmos. Você não pode ser pedra de tropeço.

Rm 14:13- Assim que, não nos julguemos mais uns aos outros; antes, seja o vosso propósito, não pôr tropeço ou escândalo ao irmão.

A indiferença é a atitude resultante da decisão consciente de: fazer pouco caso de uma situação ou dos atos de uma pessoa. Indiferença é o mesmo que desprezo, abnegação, apatia, desamor, desapego, desinteresse, frieza, impassibilidade, insensibilidade, inércia.

Atualmente vivemos em tempos de INDIFERENÇA, tempos de homicidas em massa, de matadores seriais, porque matam seus semelhantes pela indiferença, pelo desprezo, abnegação, apatia, desamor, desapego, desinteresse, frieza, impassibilidade, insensibilidade, inércia.

AP 3:15 – Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! 16. Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. 17 . Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu, 18. Aconselho-te que de mim compres ouro, provado no fogo, para que te enriqueças, e vestidos brancos, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez, e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. 19 . Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê, pois, zeloso, e arrepende-te. 20. Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

Quantos morreram esta semana pela indiferença dos médicos e dos enfermeiros nos hospitais públicos; quantos presos foram mortos pela indiferença dos policiais, do carcereiros, daqueles que lhes deveriam guardar; quantos foram mortos pela indiferença dos oficiais de justiça, dos motoristas ocupados, que não podem socorrer, porque vai sujar seu carro novo de sangue; quantos foram presos, roubados, prejudicados, pela indiferença daquele que sabendo a verdade se recusa a testemunhar; ocultam a verdade; não tenho nada com isso.

Quantos homens estão matando suas esposas pela indiferença; pais matando seus filhos; quantos filhos estão matando os seus pais, os seus avós; irmãos matando irmãos, etc.

Estamos, nesses dias, expostos à face dura, cruel e mortal da indiferença, quando assistimos o julgamento do casal Nardoni.

Pessoas que sequer os conhecem, que sequer sabem a verdade sobre os fatos; pessoas de todo tipo e grau de conhecimento. Levadas às ruas como uma turba insana e cega por informações talvez erradas, equivocadas, tendenciosas, etc.

Há pessoas que estão ali, o dia inteiro, paradas na rua, sem trabalhar, até sem comer. São como urubus pousados no sol do meio dia, não importando o calor, à espera da morte de um animal moribundo para devorar suas carnes com o sangue ainda quente.

Pessoas totalmente indiferentes à suas próprias famílias, aos seus próprios pais, aos seus próprios filhos. Pessoas INDIFERENTES à dor, à humilhação, ao arrependimento. Desprovidas de MISERICÓRDIA, de AMOR, de PERDÃO.

Longe do Reino que é JUSTIÇA e PAZ são SOLITÁRIAS, SEM JESUS, por isso vão morrendo e matando na indiferença aos apelos de JESUS O CRISTO de abrir a porta para que ELE entre.

Indiferentes ao apelo de JESUS quando diz:

At 3:19-20 – Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério, pela presença do Senhor, 20. E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado,

Amados, certamente, não é matando os Nardoni que a Isabela vai ressuscitar, porque somente:

Jo 6:54 – Quem come a minha carne, e bebe o meu sangue, tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.

A única forma de ressuscitar a Isabela é fazendo com que eles se arrependam e mudem as suas atitudes. Porque se não houver arrependimento (mudança de atitude), outras crianças estarão em risco.

Creio firmemente que aquele homem é resultado de uma família desagregada, de pais irresponsáveis e ausentes.

Pais irresponsáveis e ausentes, geram filhos inconseqüentes.

Que tipo de pai, ou mãe, você está sendo?

Você se importa com as atitudes de seu filho, ou você acha que todas as suas atitudes são coisas de criança e que quando crescer vai mudar?

Veja o que está em PV 20:11 – “Até a criança se dará a conhecer pelas suas ações, se a sua obra for pura e reta.”

Que tipo de programa seu filho assiste na televisão?

Com quem e o que ele conversa pelo MSN?

Talvez você seja indiferente a estas coisas.

“A indiferença é a maneira mais polida de desprezar alguém.” Mário Quintana. “O maior pecado para com os nossos semelhantes, não é odiá-los, mas sim tratá-los com indiferença; é a essência da desumanidade.” George Bernard Shaw.

“A indiferença que se tem em relação a outro é sem dúvida a pior das razões para lhe ser fiel.” Robert Mallet. Marido e esposa. “A indiferença é o sono da alma.” Charles Favart. Está doente.

“Onde está a felicidade? No amor, ou na indiferença? Na obediência, ou no poder? No orgulho, ou na humildade? Na investigação, ou na fé? Na celebridade, ou no esquecimento? Na nudez, ou na prosperidade? Na ambição, ou no sacrifício? A meu ver, a felicidade está na doçura do bem, distribuído sem idéia de remuneração. Ou, por outra, sob uma fórmula mais precisa, a nossa felicidade consiste no sentimento da felicidade alheia, generosamente criada por um ato nosso.” Rui Barbosa.

O contrário do Amor: O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.

Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.

Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência

Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.

“Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde (velhice), quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.” Martha Medeiros.

“Aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam…” William Shakespeare. “O amor está mais perto do ódio do que a gente geralmente supõe. São o verso e o reverso da mesma moeda de paixão. O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença…” Érico Veríssimo.

“Não se pode escrever nada com indiferença.” Simone de Beauvoir. “Descartes já tinha percebido com clareza que a liberdade da indiferença é o grau mais baixo da liberdade.” Gabriel Marcel.

“A única dignidade realmente autêntica é a que não diminui ante a indiferença dos outros.” Dag Hammarkskjod. “O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas más, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas.” Martin Luther King.

“O olhar indiferente é um perpétuo adeus.” Malcolm Chazal. “A maior solidão é aquela que se dá não pela ausência de pessoas, mas pela indiferença da presença delas.” David Saleeby.

Ordinariamente tratamos com indiferença aquelas pessoas de quem não esperamos bens nem receamos males. Marquês de Maricá. O pior sentimento do ser humano não é a inveja, mas sim a indiferença! Bille.

“Como se morre de velhice, ou de acidente ou de doença; morro, Senhor, de indiferença. Da indiferença deste mundo onde o que se sente e se pensa não tem eco, na ausência imensa. Na ausência, areia movediça onde se escreve igual sentença para o que é vencido e o que vença. Salva-me, Senhor, do horizonte sem estímulo ou recompensa, onde o amor equivale à ofensa. De boca amarga, e de alma triste, sinto a minha própria presença num céu de loucura suspensa. (Já não se morre de velhice nem de acidente nem de doença, mas, Senhor, só de indiferença.) Cecília Meireles.

O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença (Érico Veríssimo).

Filhos, do doente, enquanto ele está ais cuidados do médico, dos enfermeiros, todos nós amamos e até os visitamos, temos piedade, misericórdia; mas do dependente, quando ele deixa o hospital e passa a precisar de nós para suas mais básicas (tomar banho, ir ao banheiro), deixamos de amá-lo, ficamos indiferentes.

Cuidado com suas decisões, elas vão determinar as suas atitudes.

Lc 6:27 – Mas a vós, que ouvis, digo: Amai os vossos inimigos, fazei bem aos que vos aborrecem; 28. Bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam. 29. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe, também, a outra; e, ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses; 30. E dá a qualquer que te pedir; e, ao que tomar o que é teu, não lho tornes a pedir. 31. E, como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também.

Pr. Sebastião Geraldo de Lima

Visualizações: 17.970

 

3 Comments »

  1. Glória ao DEUS, que nos livrou da preocupações deste mundo!!!!

    Comentário de LARISSA — 3 de abril de 2014 @ 9:08

  2. Texto maravilhoso e muito inspirador, a indiferença é cruel :(

    Comentário de Rebeca — 14 de abril de 2014 @ 20:59

  3. Minha esposa fala que eu não tenho fé porque me preocupo de mais com o futuro nosso e de nossos filhos.
    Só eu trabalho em casa e não sou registrado, e o contrato pode acabar a qualquer momento sem nenhum direito trabalhista. Ou seja se eu parar hoje amanhã já não tenho o que receber.
    Eu fico buscando alternativas para um plano B, contatos para um convenio mais barato, atividades que possam nos oferecer uma outra renda, etc..
    e eu sempre me deparo com minha esposa fazendo este comentário.
    Realmente não sei se preciso deixar tudo nas mãos de Deus ou continuar me preparando e planejando.

    Comentário de Tony — 5 de julho de 2017 @ 11:43

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment